Arquivo da tag: senepol

Paranoá Senepol faz 50% dos melhores touros indicados ao ATJ, da Embrapa

01_1Touroscampo
Touros criados a campo na Paranoá Senepol: resultado do Geneplus/Embrapa comprova seleção que visa lucro do cliente. (Fotos: Jadir Bison)

A Paranoá Senepol se orgulha de fazer cinco entre os dez melhores touros indicados para o programa de Avaliação de Touros Jovens, do Geneplus (ATJ-Plus). Num universo de 5.621 animais avaliados de diversos criatórios que participam do programa, apenas um número reduzido se qualifica para ser fornecedor de genética que a Embrapa vai validar com os dados que coletará das progênies deles em um futuro próximo. E metade dos melhores nasceu na fazenda de Guilherme e Eldino Zeli, em Três Lagoas/MS. Mas não está mais lá, pois foram comercializados muito antes do resultado.

A sequência do programa, que completa o quinto ano, envolve análise dos dados de nascimento ao sobreano de machos nascidos na safra 2014/2015. Dois filtros acontecem com bastante rigor. No primeiro, passam os que forem Elite (até Top 16%) para IQG, Peso à Desmama, Peso ao Sobreano e Perímetro Escrotal. Só nesse perfil sobraram 29 touros da safra.

Touros criados a campo na Paranoá Senepol: resultado do Geneplus/Embrapa comprova seleção que visa lucro do cliente. (Fotos: Jadir Bison)
Touros criados a campo na Paranoá Senepol: resultado do Geneplus/Embrapa comprova seleção que visa lucro do cliente. (Fotos: Jadir Bison)

Em seguida, para estar entre os dez melhores, precisa ser cabeceira (nota 5 ou 6) na avaliação de Conformação Frigorífica dentro do grupo contemporâneo da fazenda. Depois, entram notas para aprumo, umbigo, racial e detalhes que vão classificar os dez melhores, dos quais cinco foram criados na Paranoá Senepol e comercializados no seu Leilão Virtual de Produção Máxima, realizado em 5 de março, que teve transmissão do Canal Rural.

O foco da Paranoá não é reter touros que produzimos e se mostram destaques em avaliações ao sobreano, mas sim disponibilizar essa genética para o mercado, como fizemos nesse caso”, explica Guilherme Zeli. “Ficamos muito contentes com o resultado e desejamos que os investidores tenham um ótimo futuro com esses touros”. Mais uma prova de que o critério na seleção da Paranoá visa o resultado do cliente.

 

Leilão Genética Paranoá Senepol cresce 42% e atinge R$ 2 milhões

Recinto LeiloAdo, em Três Lagoas/MS, recebeu mais de 300 pessoas no Leilão Genética Paranoá.
Recinto LeiloAdo, em Três Lagoas/MS, recebeu mais de 300 pessoas no Leilão
Genética Paranoá.

Nem o mau tempo, com chuva e neblina em Três Lagoas/MS na noite de quinta-feira, dia 2 de junho, atrapalharam o desempenho de um evento numa noite memorável. Foi quando a Paranoá Senepol faturou R$ 1.998.000,00 e registrou um crescimento de 42% em relação a 2015 em seu Leilão Genética Paranoá Senepol & Convidados, que aconteceu no recinto LeiloAdo.

Foram negociados 36 lotes de doadoras já chanceladas, novilhas e bezerras com garantias de qualificação no programa Safiras do Senepol. A média de R$ 54 mil reflete o reconhecimento do mercado com a seleção de Guilherme e Eldino Zeli. “Eu sempre disse que o valor é apenas um número que o mercado dita e claro que foi excepcional, mas para nós, da Paranoá, o que mais contou foi o reconhecimento dos criadores com uma genética que a gente se esforça muito para melhorar sempre”, declarou Guilherme Zeli.

Guilherme Zeli e Tania (à esquerda) com Lúcia e Eldino Zeli, da Paranoá, proporcionaram uma noite memorável ao Senepol do Brasil.
Guilherme Zeli e Tania (à esquerda) com Lúcia e Eldino Zeli, da Paranoá, proporcionaram uma noite memorável ao Senepol do Brasil.

O lote mais valorizado do leilão foi a doadora Paranoá 164, que teve 50% adquirida por R$ 115.200,00. O novo sócio da Paranoá nessa filha de AMI 635 Flor de Mayo em doadora PRR 840 ET nascida em 13/02/2013 é o criatório Pecuária 3JR, de Jhonatan Thomazini. O maior comprador do leilão foi o também recente selecionador Jorge Luís Veduvoto, que arrematou seis lotes. O condomínio Dormi na Praça, do qual faz parte o cantor Bruno, da dupla Bruno&Marrone, comprou por R$ 72 mil os 100% da doadora SHOA 33 (CN 4635 Blondie x Hulk da Mar, nascida em 16/05/2014). Além do sertanejo, compõem o condomínio o criador Deizinho Bellodi, da ZB Senepol, e os empresários Rafael Queiroz e Neto Junqueira.

Após os 36 lotes, a Paranoá reservou uma surpresa, um lote extra, com nove novilhas de seis pais diferentes, para que o comprador escolha após a edição 2016.1 do Safiras, para onde foram levadas no dia seguinte ao remate. O valor do investimento atingiu R$ 75.600,00 e o dono do último lance foi o criador Daví Garcia, da Bela Vista Senepol, em sociedade com Celso Cassiano.

Guilherme Zeli e Tania com os filhos Bruno, Beatriz e Gabriel.
Guilherme Zeli e Tania com os filhos Bruno, Beatriz e Gabriel.

O Leilão Genética Paranoá & Convidados foi organizado pela Programa Leilões, com a condução dos leiloeiros Cláudio Gasperini e Guillermo Sanchez. A assessoria foi a S+ e a transmissão, do Canal Rural. Assim que o último lote foi vendido, os mais de 300 presentes ao recinto foram presenteados com um show da dupla Jads&Jadson, eles também criadores. Em pouco mais de duas horas de música e diversão, o show sertanejo e o de genética deixaram em todos aquele gosto de “quero mais”, que vai ficar para 2017.

Criadores de Senepol e astros da música sertaneja, os irmãos Jads & Jadson fecharam a noite memorável com um show pra lá de bruto.
Criadores de Senepol e astros da música sertaneja, os irmãos Jads & Jadson fecharam a noite memorável com um show pra lá de bruto.

Produção Máxima Paranoá passa de R$ 1,4 milhão

ProducaoMaxima_DBO
Leilão Produção Máxima foi realizado no dia 05 de Março de 2016

Virtual de Eldino e Guilherme Zelli teve oferta de touros, matrizes, bezerras e gado de corte
Na tarde de 5 de março, Eldino e Guilherme Zelli fecharam parte da grade de programação do Canal Rural para a transmissão do Leilão Virtual Produção Máxima Paranoá Senepol, grife que conduzem desde 2009 em Três Lagoas, no Leste do Mato Grosso do Sul.

O remate contou com oferta de 79 lotes de touros, matrizes e bezerras avaliados pelo Geneplus, da Embrapa Gado de Corte, e movimentou R$ 1 milhão. A média geral foi de R$ 13.675,00. “É um orgulho ver a aceitação do nosso trabalho. Nossos produtos têm dado resultado na fazenda dos investidores e o mercado tem reconhecido isso”, destacou Guilherme Zeli.

Os reprodutores lideram as vendas, com 56 lotes comercializados à média de R$ 13.403,00, valor equivalente a 95,7 arrobas de boi gordo para pagamento à vista na praça de Três Lagoas no dia do pregão (R$ 140/@). Do grupo saiu a maior disputa do pregão, um lote com dois touros de 22 meses, foi arrematado por R$ 29.520,00 pelo criador Marcos Mogari.

Nas fêmeas, a média para 23 animais foi de R$ 14.337. As oito bezerras foram vendidas ao preço médio de R$ 10.845,00, enquanto as 15 novilhas e vacas saíram a R$ 16.200,00.

No atacado, também foram comercializados 215 animais de cruzamento por R$ 338.451,00. A média dos 119 machos foi de R$ 1.440,00 e das 96 fêmeas de R$ 1.740,00. A maior negociação da categoria foi fechada com Fernando Martins Antunes, que desembolsou R$ 57.780,00 para arrematar um lote com 30 machos.

A condução dos trabalhos foi feita pelo leiloeiro Guillermo Sanchez, com captação de lances para pagamentos em 36 parcelas. A organização foi da Programa Leilões.

Fonte: Portal DBO

Paranoá Senepol vira referência a alunos da Unesp Ilha Solteira

02_2 AlunosUnespnaParanoa
Grupo de formandos de Zootecnia da Unesp Ilha Solteira em visita à Fazenda Paranoá.

A Paranoá Senepol continua servindo de referência para formação de profissionais de agrárias. A Fazenda Paranoá, em Três Lagoas/MS, foi mais uma vez um laboratório a céu aberto para um grupo de 30 alunos da Unesp, de Ilha Solteira/SP, que atravessou a fronteira para conhecer de perto detalhes de uma produção sustentável em pecuária de corte e em seleção de Senepol.

O grupo foi recebido por Guilherme Zeli, da Paranoá Senepol, para ver de perto um novo personagem da bovinocultura, o Senepol, diferente dos conhecidos zebuínos que eles estão mais acostumados. “Os alunos ficaram maravilhados com coisas que eles só viam na teoria”, reporta a professora Viviane Correa, responsável pela disciplina Bovinocultura de Corte no curso de Zootecnia da Unesp.

Alunos da Unesp Ilha Solteira conhecem categorias animais da Paranoá Senepol, em Três Lagoas/MS. (Fotos: Assessoria de Comunicação Paranoá Senepol)
Alunos da Unesp Ilha Solteira conhecem categorias animais da Paranoá Senepol, em Três Lagoas/MS. (Fotos: Assessoria de Comunicação Paranoá Senepol)

Na visita, os alunos do quarto ano viram detalhes sobre reprodução, fenótipo, precocidade, musculatura, escore, manejo, desenvolvimento comparativo entre bezerras recém-nascidas e com três meses de vida, receptoras, tourinhos. “Na faculdade, a gente tem pouco acesso à prática e como o Guilherme [Zeli] nos abriu a porteira, a gente aproveitou para conhecer coisa boa”, afirma a professora. “A reformulação na faculdade é muito lenta e uma chance dessa é ótima, porque esse trabalho que eles fazem na Paranoá é referência”.

Viviane Correa e Guilherme Zeli deixaram acertadas novas visitas para ampliar essa contribuição. “Estaremos sempre com as porteiras abertas para mostrar nosso trabalho e tomara que sirva para dar noção aos acadêmicos sobre como selecionamos e praticamos pecuária aqui na Paranoá Senepol”, conclui Zeli.

Paranoá Senepol registra 100% de liquidez no leilão Produção Máxima

A Paranoá Senepol comemora 100% de liquidez no Leilão Produção Máxima, que foi ao ar pelo Canal Rural no dia 5 de março, sábado à tarde. O criatório de Eldino e Guilherme Zeli vendeu 300 produtos e atingiu diversos Estados do Brasil, com arrecadação total de R$ 1,43 milhão. “É um orgulho ver a aceitação do nosso trabalho”, reagiu Guilherme Zeli. “A gente faz um trabalho transparente, para que nossos produtos possam dar resultado na fazenda dos investidores e o mercado reconheceu isso”.

Touro EZ 297 alcançou o melhor preço no leilão Produção Máxima Paranoá Senepol: R$ 24 mil. (Foto: Assessoria de Comunicação Paranoá Senepol).
Touro EZ 297 alcançou o melhor preço no leilão Produção Máxima Paranoá Senepol: R$ 24 mil. (Foto: Assessoria de Comunicação Paranoá Senepol).

Esse reconhecimento veio na forma de valorização dos animais comercializados. Foram sete lotes comerciais de meio-sangue Senepol, entre os quais três de machos de 08 a 11 meses de idade e pesos entre 210kg e 315kg, com média de R$ 1.740,48 – o mais valorizado atingiu R$ 1.926,00. As fêmeas contemporâneas receberam valorização média de R$ 1.440,13. Esses lotes foram disputados e arrematados por criadores de Brasilândia/MS e Uberlândia/MG.

No gado puro, as bezerras tiveram média de R$ 12 mil, as matrizes (vacas e novilhas) alcançaram preço de R$ 17 mil e os touros jovens (até 24 meses), R$ 13,5 mil. O destaque dessa venda dos 60 reprodutores foi o touro EZ 297 (WC 123N x SCR 6001S), arrematado por R$ 24.120,00 pelo criatório de Jorge Luiz Veduvoto. “Mais do que preço, a gente queria disponibilizar essa ferramenta cada vez mais procurada, com a qualidade que nos propomos a oferecer e os pecuaristas que querem produzir bons bezerros entenderam isso”, afirmou Zeli, ao final do leilão. “Quem trabalha com o capricho que a família Zeli tem na seleção do Senepol da Paranoá só pode alcançar um resultado como esse”, elogiou Júnior Fernandes, da S+, que trabalhou nos comentários do leilão, no estúdio do Canal Rural.

Facebook-LeilaoProducaoMaxima_2016

Outro ponto destacado no leilão foi o fato de cinco novos criadores de BA, MG, PR, RJ e SP entrarem para a raça, adquirindo fêmeas jovens e matrizes de alto padrão genético. “Isso é uma mostra de que o Senepol cada vez mais convence as pessoas que precisam de uma pecuária eficiente”, comentou Guilherme Zeli. Alex Marconato, da S+, trabalhou na mesa de lances da Programa Leilões, em Londrina/PR, e constatou um interesse muito acentuado durante o leilão. “O telefone não parou em nenhuma das categorias à venda, todo mundo quer o que é bom”, afirmou. “Não sobrou nada, sem defesa, um ótimo leilão”.

A Paranoá Senepol volta ao mercado com o leilão de genética, marcado para 2 de junho, em Três Lagoas/MS. O evento também terá assessoria da S+ e as informações serão divulgadas oportunamente aqui.

Fonte: S+ Assessoria

Conversão de embriões segue alta entre jovens doadoras da Paranoá

Jovens doadoras da Paranoá Senepol continuam processo de melhoramento genético com alta produtividade. (Foto: Assessoria de Comunicação Paranoá Senepol)
Jovens doadoras da Paranoá Senepol continuam processo de melhoramento genético com alta produtividade. (Foto: Assessoria de Comunicação Paranoá Senepol)

A Paranoá Senepol continua superando suas médias. Duas de suas jovens doadoras já mostraram a força da genética desenvolvida na empresa, fornecendo uma média superior de embriões em primeira aspiração. Paranoá 229 e Paranoá 230 converteram 51% dos oócitos coletados em embriões viáveis, entre transferidos e congelados. “O resultado foi acima do esperado”, resumiu Guilherme Zeli, da Paranoá Senepol.

As duas novilhas registraram, na virada do ano, 95 oócitos coletados em primeira aspiração pela In Vitro Brasil, responsável pela execução das biotecnologias de reprodução dentro da Fazenda Paranoá, em Três Lagoas/MS. Converteram 48 embriões, acima da média nacional para FIV. “O que nos deixa mais satisfeitos é que não foi um número pequeno de oócitos, o que valoriza a média e a conversão”, comemora Guilherme Zeli.

As doadoras Paranoá 229 (Safira Elite) e Paranoá 230 (Safira Top 10), são irmãs por parte de pai, o reprodutor CN 6445G. Ambas são filhas de Safiras Top 10 (Paranoá 031 e Paranoá 032, respectivamente), o que reforça o critério dos acasalamentos no cumprimento da meta de melhoramento genético dentro do rebanho.

As duas novilhas foram comercializadas no mesmo lote, ainda bezerras, dentro do primeiro Leilão Paranoá, em março de 2015, com opção de escolha pelo comprador da melhor classificada no programa Safiras do Senepol, encerrado em outubro. A ZB Senepol, que arrematou o lote, decidiu ficar sócia da família Zeli nas duas doadoras. Agora, vai desfrutar dessa genética junto com a Paranoá Senepol.

Segundo Aval, Paranoá Senepol tem touros com carcaça acima da média

01_1 Yuri ultrassom Pranoá
Yuri Farjalla, da Aval, em ultrassom de carcaça realizada nos touros da Paranoá Senepol no início de dezembro. (Fotos: Paranoá Senepol)

Uma seleção dentro da realidade da pecuária brasileira, com o critério justo para atender demanda por qualidade, proveniente de uma genética selecionada com rigor e baseada em informações, tecnologia e resultados. É esse o resumo da última sessão de ultrassonografia de carcaça realizada pela Aval nos 80 touros de sobreano da Paranoá Senepol, em Três Lagoas/MS, no início de dezembro.

O que mais me impressionou na Paranoá foi a seleção a pasto, que gerou animais bem acima da média em desempenho de carcaça”, considerou Yuri Baldini Farjalla, da Aval. “Essa é a grande opção da pecuária, porque quem precisa de touro é para cobrir a campo, com rusticidade, como o nosso sistema produtivo exige”. Márcio Alves de Brito, Gerente da Paranoá Senepol, acompanhou Yuri durante toda a avaliou dos machos entre 15 e 16 meses de vida, os mesmos que passaram pelo crivo do Geneplus, da Embrapa, duas semanas antes (veja matéria em Notícias). Através de ultrassonografia, ele mediu cobertura de gordura e área de olho de lombo.

Cobertura de gordura e AOL foram as medições da Aval nos touros de sobreano da Paranoá Senepol.
Cobertura de gordura e AOL foram as medições da Aval nos touros de sobreano da Paranoá Senepol.

Nós ranqueamos o grupo contemporâneo pela qualidade de carcaça e agora vamos observar a variação, nesse volume grande, para dar base a essa seleção. Isso é importante para garantir melhoramento genético”, declarou, elogiando os critérios de seleção de Guilherme Zeli, da Paranoá Senepol. “Ele é muito caprichoso, utiliza tecnologia em todos os aspectos, na formação de pastagem, na avaliação de machos e fêmeas, na FIV. E acredita nas informações para selecionar, sem privilegiar nenhum indivíduo. Usando os melhores animais, ele aumenta a produtividade e, com manejo excelente, reduz custo de produção dele e dos clientes que vierem buscar os touros que vão a campo cobrir, comer brachiaria e fazer bezerro mais pesado e precoce”.

Baseado nos números que instituições como Aval e Embrapa compilam, Guilherme Zeli vai selecionar agora os melhores animais da safra que possam cumprir as premissas da empresa de atender uma demanda de mercado por qualidade. Algo que a Paranoá Senepol vem oferecendo nos últimos anos, graças à sua excelência em produtividade.

Paranoá Senepol destaca números de 80 touros em avaliação no Geneplus

Mangueiro lotado na Paranoá, com touros da geração 2014 em avaliação no Geneplus.
Mangueiro lotado na Paranoá, com touros da geração 2014 em avaliação no Geneplus.

A Paranoá Senepol prepara um 2016 de muita produtividade. Principalmente a julgar pela safra de 80 touros ao sobreano que acabam de passar por avaliação do programa Geneplus, da Embrapa. O dia 25 de novembro foi de coleta de dados dos touros entre 15 e 16 meses de média de idade, que mostraram desempenho muito satisfatório à Paranoá e impressionou o técnico do programa Geneplus.“O que eu vi ali foi uma garrotada muito parelha, carcaçuda, pelo zero, adaptada mesmo, ótima de aprumo e tudo a pasto, com alguma suplementação”, descreveu Lucas Nascimento Silva, do Geneplus.

Nascidos entre abril e setembro de 2014 (dois grupos contemporâneos), os touros jovens da Paranoá Senepol registraram peso médio de 515 kg e CE de 35 centímetros. Números que dão a Guilherme Zeli, da Paranoá, expectativa de que esses animais se coloquem bem na comparação com outros touros de diversas fazendas integrantes do programa, mantendo a evolução do rebanho. “A gente se preocupa em programar os acasalamentos e dar condição a pasto a todos os animais, para que eles possam se credenciar para o mercado”, declarou Guilherme Zeli.

Equipes da Paranoá e do Geneplus apartam tourinhos ao sobreano para avaliação. (Fotos: Assessoria de Comunicação Paranoá Senepol)
Equipes da Paranoá e do Geneplus apartam tourinhos ao sobreano para avaliação. (Fotos: Assessoria de Comunicação Paranoá Senepol)

Ele afirmou que dois dos animais foram selecionados pela fazenda e apoiados pelo técnico do Geneplus para se tornarem touros de repasse em curto espaço de tempo. “No meio de tanto touro equilibrado e padronizado a gente deixou dois ali de ‘sobreaviso’, porque são diferentes”, brincou Lucas Silva. “Eles realmente chamaram atenção desde as primeiras avaliações e, com o pedigree que têm, vamos prestar atenção”, avisou Guilherme Zeli, em tom de suspense, prometendo divulgar os nomes num futuro próximo.

A avaliação dos machos ao sobreano é parte do trabalho da Embrapa para avaliação dos animais que integram o sumário Geneplus. As medições de pelo, umbigo, aprumo, cor, CE, peso e conformação frigorífica, entre outras, entram nos escores que se somam aos dados colhidos na fazenda desde o nascimento, passando pelos dados aos 4 meses e desmama, etapa de coleta de dados já coordenada pelo Geneplus com a equipe da fazenda.

Geneplus avaliou 80 touros entre 15 e 16 meses de média, registrando 515kg de peso e 35cm de CE.
Geneplus avaliou 80 touros entre 15 e 16 meses de média, registrando 515kg de peso e 35cm de CE.

Vamos compilar agora todas as informações e o sumário será lançado em maio”, informou o técnico da Embrapa. A expectativa dele é de que o programa cresça muito em volume. Na edição passada, publicou dados de mais de 60 mil animais de 50 criatórios diferentes de todo o Brasil, inclusive a Paranoá Senepol.

Investimentos garantem melhor produtividade de gado da raça Senepol na fazenda Paranoá

Senepol na Fazenda Paranoá, ao fundo o Rio Sucuriú.

Localizada às margens do rio Sucuriú, em um local onde o cerrado do Mato Grosso do Sul é cenário de belas imagens, encontra-se a fazenda Paranoá. Propriedade de Eldino Zeli desde 2002, é administrada pelo filho, Guilherme Candeloro Zeli.

Com uma área total de 2.244 ha, sendo 44,5% destinados ao reflorestamento com eucaliptos, 34,8% de áreas de pastagens e 20,7 % de reserva legal, a fazenda é destaque por manter processos organizados, ter boa gestão e também investir em tecnologia.

O Senepol

Na fazenda Paranoá grande parte dos investimentos são voltados para a produção de gado Senepol. A raça é originária da ilha caribenha de Saint Croix, nas Ilhas Virgens, e é resultado do cruzamento entre a raça N´Dama, do Senegal, e o Red Poll, da Inglaterra. Desde 1918, vive adaptada a um ambiente com poucos recursos, produzindo excelentes resultados.

Segundo a Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos Senepol, a missão do rebanho era consumir as pobres pastagens da ilha para converter em carne, que serviria para alimentar os próprios habitantes de Saint Croix. Informações genéricas como intervalo de parto e performance de desenvolvimento eram guardadas como dados. Por décadas, os filhos e filhas dos animais mais consistentes eram usados como animais de reposição do rebanho.

No Brasil

O Senepol chegou ao Brasil no ano 2000 e teve uma rápida aceitação. Por ser um país onde o clima é tropical, prevalecendo muito calor, a raça consegue manter todas as características, sem perder a sua identidade. Guilherme está feliz com os resultados e conta como é feito o trabalho na fazenda, bem como sobre os investimentos realizados.

Em 2005, compramos o primeiro touro Senepol e identificamos que os seus filhos eram diferentes dos demais. Em 2009, compramos os primeiros animais puros, as doadoras. A Paranoá Senepol, desde então, só vem crescendo. Hoje, tenho mais de 100 doadoras e estou cada vez mais otimista em criar Senepol”, reforça o pecuarista.

A raça, caracterizada também pela habilidade em produzir bem em um clima totalmente quente, tem destaque no Mato Grosso do Sul. “O nosso foco é produção de carne, através do touro. A raça mãe do Brasil é Nelore e o Senepol tem características semelhantes ao Nelore, como a resistência ao calor e adaptabilidade. Os filhos desse cruzamento tornam-se extremamente dóceis, uma das grandes características da raça Senepol. O Objetivo é fazer touro a campo e essa raça aguenta o calor. Os animais pastam tranquilamente e poucas vezes procuram a sombra. Em 2011, eu estive em Porto Rico e visitei algumas fazendas. Local de clima muito quente e úmido, pude observar vacas de até 10 anos pastando normalmente. Isso nos alegra muito, pois é um animal que aguenta o nosso clima. O Senepol gosta de calor”, define Zeli.

Todo esforço e investimento no que existe de melhor na raça proporcionam à Paranoá Senepol vender touros para diversas partes do Brasil. “Recentemente, vendemos para Unaí, Formosa, Cristalina, entre outras cidades. Clientes que compraram em eventos anteriores, sempre voltam”.

Doadoras Senepol na fazenda Paranoá.
Doadoras Senepol na fazenda Paranoá.

Melhoramento Genético

A preocupação da Paranoá Senepol, desde que iniciou a seleção na raça pura, sempre foi garantir melhoramento genético nas gerações formadas dentro da fazenda, a partir de genética qualificada.

Existe uma prova de fêmeas, o programa Safiras do Senepol, que realiza vários estudos e avalia eficiência alimentar, características visuais, quantidade folicular de novilhas, entre outras mensurações”, comenta o criador. São sete as características avaliadas, para identificar os indivíduos superiores e permitir reprodução das melhores fêmeas.

Quando eu entrei na associação, em 2009, eram 70 criatórios e hoje passam de 350. Como a raça ainda é pequena, mas está em amplo crescimento, precisamos multiplicar apenas os animais superiores. Eu não posso pegar qualquer vaca e sair multiplicando”, alerta. Guilherme utiliza os processos de FIV (Fertilização In Vitro) e TE (Transferência de Embriões) para garantir animais de boa qualidade.

Utilizamos essas tecnologias apenas em indivíduos superiores, selecionados mediante provas, para produzir filhos melhores do que as mães. Para produção de carne, temos que produzir um touro sempre melhor do que o pai dele. Para isso, os animais são categorizados pelo seu desempenho nas provas e nós passamos a ter confiança nas informações que eles geram através de sua performance”, explica Guilherme.

Tecnologia

Para todo esse processo fluir até garantir uma boa qualidade da carne, a tecnologia é destaque. Zeli nos explica como funciona o processo de envio de informações para empresas e instituições que realizam as avaliações dos animais. É assim no que já existe de sumários como Embrapa/Geneplus. Será mais preciso ainda quando estrear uma tecnologia que vai funcionar para avaliação de touros em prova única no Brasil. “Estamos nos estruturando e até meados de dezembro desse ano já vamos iniciar uma prova que será batizada Rubi Senepol”, conta.

O teste consistirá em deixar os reprodutores por 150 dias em avaliação e medir eficiência alimentar através de cochos eletrônicos, que uma empresa parceira do processo instalou na fazenda. Esses cochos medem o consumo de cada animal, no momento em que ele entra para comer. São cochos que funcionam como balança e a informação de quanto ele comeu é enviada imediatamente para um computador da empresa, que armazena todas as informações de alimentação dos animais.

Cochos eletrônicos medirão em tempo real peso, consumo de comida e água dos animais.
Cochos eletrônicos medirão em tempo real peso, consumo de comida e água dos animais.

O mesmo acontecerá para medição de consumo de água. Quando o animal entrar na plataforma, que também é uma balança, ele será pesado instantaneamente. E quando beber água, o consumo também será medido eletronicamente e a água, reposta automaticamente no cocho. Todas essas informações também serão armazenadas no banco de dados da empresa e vão gerar índices para cada indivíduo.

A estrutura está pronta para 50 touros. A prova será coordenada por técnicos do Embrapa/Geneplus e da S+ Senepol, empresa que presta serviços para os criadores de Senepol. Eles também farão a avaliação visual dos animais. Zeli afirma, ainda, que um veterinário será contratado para realizar os exames andrológicos. “É como no Safiras, só muda a avaliação da questão reprodutiva”, resume.

Concorrência

Questionado sobre a comparação com a raça Angus, que também é destinada à produção de carne, Guilherme não vê concorrência. “O Senepol não vem para concorrer com ninguém. Se o criador insemina com Angus ou qualquer outra raça que não é feita para clima tropical, ele precisa repassar com outra raça que possa cobrir a campo, nisso o Senepol é imbatível”, sentencia. “Nossa proposta é fazer touro comprovadamente superior, para ter bezerro que irá comer menos e produzir mais, entre outros fatores. Tenho relatos de clientes que abateram animais meio-sangue com a nossa genética com vinte meses de idade, 18 arrobas e rendimento de 54% de carcaça. Você precisa de um ciclo rápido e satisfatório. Isso o Senepol proporciona”, finaliza.

Três Lagoas

investimentosParanoa-4Guilherme diz que em Três Lagoas e em toda região o mercado é muito bom para a venda de touros e diversos criadores buscam a sua genética devido à credibilidade e ao processo de escolha dos animais. “Em Três Lagoas, somos os pioneiros com a raça Senepol na seleção de gado PO. Estivemos esse ano na Expotrês e pretendemos, em 2016, participar mais ativamente, com um número maior de animais. Estamos estudando essa possibilidade e acredito que vai dar certo”, programa.

Sendo assim, percebe-se que na Paranoá Senepol todos os processos são desenvolvidos corretamente, com o objetivo de fornecer ao mercado animais diferenciados e que irão possibilitar grandes resultados aos seus compradores.

Divulgação: Sindicato Rural